domingo, 15 de maio de 2011

É nesse vaivém

Mal me aproximei e ela já foi se abrindo
Sem hesitar a atravessei
Sem nenhum pudor fui e voltei
Foi assim, seco, nem hi e nem bye
O ponto G estava bem aos meus pés
Que sensibilidade, um simples toque
E ela se arreganhou gemendo
Não demorou muito e logo percebi
Que não era o único
Ela estava ali, inerte, sem preconceito
Despudorada... A porta safada!!!!!!

3 comentários:

  1. ah...não tem como não gostar dos seus textos, Paulo.
    Humor inteligente e refinado, parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Obrigado Andressa. Você é muito gentil!!

    ResponderExcluir